Sopa Thai

 

Em uma viagem a trabalho, meu pai trouxe uma série de temperos e mix da Tailândia.
Na época, eu, a Mari e a Carol morávamos juntas e eu tinha certeza que era com elas que eu iria testar boa parte dos temperos.

Fizemos a lista dos ingredientes que precisávamos para preparar um dos mix de sopa: legumes, manjericão, leite de coco. Desta vez, não precisaríamos de arroz ou frutas, segundo as recomendações do fabricante. Por conta de experiências anteriores com os outros temperos, já previ o dobro de leite de coco, pois eu sabia que, ainda que pimenta não nos cause medo, o paladar dos tailandeses é bem diferente do nosso.

Seguimos a receita, fizemos a sopa e, na hora de provar…..
Bom, quem sabe colocamos um pouco mais de leite de coco? E assim fizemos… Provamos mais uma vez.

Mais leite de coco?

E novamente: acabou o leite de coco, quem sabe um pouco d’água?
Até que consideramos que a sopa estava num nível de picanços tolerável.

Sentamos à mesa, tirei minha primeira colherada com muita expectativa e…foi expectativa demais, me engasguei.
Todo mundo que já se engasgou na vida sabe o quanto isso pode ser desagradável. E engasar-se com algo picante consegue ser ainda mais peculiar!
Na maioria das vezes, não tomamos nada durante as refeições, mas aquela noite, o suco de manga virou a estrela da casa: era disputado a tapa. Entre colheradas de sopa, goles de suco (muitos!), suor e risadas da situação, terminamos cada uma porção mas nenhuma de nós tinha a coragem de se servir de uma segunda.

Decidimos guardar a sobra da sopa para um segundo round recauchutado no dia seguinte. E tendo praticamente lambido a última gota de suco, ficamos naquele desespero por algo de fruta. E foi aí que a Carol teve a brilhante idéia do abacaxi grelhado de sobremesa, que foi a salvação do jantar.

No dia seguinte, diluímos a sopa em muito mais leite de coco e fizemos um arroz para complementar. E dessa vez o jantar foi um pouco mais próximo de uma refeição normal.

 
Foto: Shutterstock
Camila

Sobre a Camila

Sou a prima do grupo e hoje me aventuro na Inglaterra. Como de tudo, menos milho (por conta de uma alergia). Sempre vou pedir o prato mais estranho que tiver num cardápio. Tenho paixão por comidas típicas, principalmente as de rua (sou rato de feiras). Adoro inventar moda na cozinha com o que tiver na geladeira (estilo "se vira nos 30"). Acredito que não existe comida ruim, mas sabores aos quais não estamos habituados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>