Risoto de alho poró, cogumelos e gengibre

 

Às vezes, a velhice chega trazendo com ela alguns brindes – no meu caso, o tal do refluxo. Aí, olhando na internet, existem milhares de recomendações diferentes e contraditórias sobre o que ajuda/não ajuda comer quando se está no auge das crises.

Então a saída até me consultar com um especialista, foi ir testando o que cai ou não cai bem. Fui inventando receitas com ingredientes bem leves e monitorando como meu estômago reagia depois. Achei que seria interessante compartilhar aqui uma das receitas bem sucedidas em relação as consequências e aos elogios de quem comeu sem precisar estar “de dieta”.

–> aliás, para mim, alho poró foi ótimo para dar mais gosto nos pratos sem precisar colocar alho e cebola (que reagiam como bomba no estômago!)

—> esse post não tem supervisão de nutricionista, é apenas resultado de algo que fiz e “caiu bem”.

IMG_0125

Receita do Risoto de alho poró, cogumelos e gengibre

Ingredientes

  • 1 talo de alho poró (cortado em meia-rodela)
  • 1 pedaço de gengibre de uns 6 cm (picado em pedaços pequenos)
  • 1 Xícara arroz arbóreo
  • 1 Potinho caldo de carne ((usei o knorr, aquele que parece uma geléia/gelatina))
  • 5 cogumelos frescos (cortados em fatias finas)
  • Colher de sopa óleo vegetal

Modo de preparo

Passo 1.
Coloque o óleo numa panela e refogue o gengibre, o alho poró e os cogumelos. Quando estiverem ligeiramente cozidos, acrescente o arroz arbóreo.
Passo 2.
Refogue até dourar e acrescente meia xícara de água. Mexa bem. Quando começar a ferver, acrescente mais meia xícara e mexa bem. Quando ferver de novo, acrescente o caldo de carne.
Passo 3.
Continue mexendo de vez em qndo e quando ver que a água evaporar, acrescente um pouco mais. Siga esse processo até o arroz estar cozido e com um pouco de caldo numa consistência cremosa (isso acontece apenas com o amido do arroz que soltou na água ao mexer, não vai precisar acrescentar manteiga, queijo ou creme de leite). Sirva em seguida! Bom apettite
Camila

Sobre a Camila

Sou a prima do grupo e hoje me aventuro na Inglaterra. Como de tudo, menos milho (por conta de uma alergia). Sempre vou pedir o prato mais estranho que tiver num cardápio. Tenho paixão por comidas típicas, principalmente as de rua (sou rato de feiras). Adoro inventar moda na cozinha com o que tiver na geladeira (estilo "se vira nos 30"). Acredito que não existe comida ruim, mas sabores aos quais não estamos habituados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>